Do título

Do título

"Retórica dos namorados, dá-me uma comparação exata e poética para dizer o que foram aqueles olhos de Capitu. Não me acode imagem capaz de dizer, sem quebra da dignidade do estilo, o que eles foram e me fizeram. Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá idéia daquela feição nova. Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca."
( Dom Casmurro, Machado de Assis, cap. 32 )

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Mais um ano termina



Na dúvida, use preto, não vai mudar nada também, mas pelo menos emagrece (e eu sei que vocês comeram horrores no natal, né???)

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Foi o 20 de setembro o precursor da liberdade

Dia de celebrar o orgulho de ser gaúcho que sentimos todos os dias. De declarar nosso amor ao Rio Grande.



E que sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra!

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

108 anos de glórias! Parabéns, Imortal Tricolor!



Eduardo Bueno, o Peninha, um dos escritores que mais admiro, disse certa vez em uma entrevista:
"O futebol é a metáfora da vida, e a vida não é um tapete verde. A vida é um campo esburacado."
Ser gremista não é apenas torcer por um clube de futebol. É ter dentro de si tudo de que se compõe o Grêmio. É ter RAÇA, ter as vitórias conquistadas com sangue; ter GARRA, não se entregar jamais, mesmo quando parece impossível; ser gremista é ter a IMORTALIDADE, descrita por Lupicínio Rodrigues e que, sem dúvida, é a sua principal característica, e de quem veste essa camisa, como Renato, De León, Lara, Mazzaropi e tantos outros.
E, principalmente, ser gremista é renascer, quando ninguém mais espera, no último minuto, quando não há mais nada, o Grêmio, assim como nós gremistas, renasce. Pois como dizem os trapos da Geral: JAMAIS NOS MATARÃO.

"Ser gremista é ser imortal." Renato Portaluppi

"Eu sou gremista, um estágio superior de gaúcho." Eduardo Bueno

"Ser gremista é achar que dá." Humberto Gessinger

"Ser gremista é o sonho delirante de não conseguir na vida ser outra coisa." Paulo Santana.

Sem modéstia

Minha sugestã tá no ar!

http://www.polar.rs/#/mileduas-coisas/lista/3163

E por falar nisso, já tens teu certificado?

http://www.polar.rs/#/gaucho-sem-modestia/certificado

sábado, 9 de julho de 2011

sábado, 2 de julho de 2011

My only friend, the end...


Clique na imagem para aumentar.


Homenagem dos alunos das turmas 4006-A e 4008-A. Obrigada, queridos. Vou sentir saudade.


Despedidas são difíceis. Sempre. Não importa do quê ou de quem. Mas um dia ele, o fim, sempre chega. Tem que chegar. E é difícil chegar ao fim de um ideal, de uma ilusão talvez. Eu fiz o que pude? Fiz. Fiz mais do que pude, tenho certeza. Mas também existe sabedoria na decisão de partir, de reconhecer o fim e aceitá-lo. Deixo o ofício de dar aulas com tristeza, sim, mas não posso mais compactuar com a forma como a educação é tratada neste país, como uma mercadoria barata, não, desculpem mas eu não posso mais. Pessoalmente, preciso dessa ruptura, preciso aprender coisas novas, preciso de mudança.
O que vou levar comigo são as lembranças das pessoas na vida das quais eu talvez tenha feito alguma diferença, que sempre foi o motivo que me levou a me dedicar a esse trabalho. E também o carinho sincero que recebi de todos os que estiveram comigo nesse tempo. A todos vocês, o meu sincero: muito obrigada!

terça-feira, 21 de junho de 2011

Não deixem de ler!

Maliu arrasa. E mais não digo.

Blog da Maliu

terça-feira, 14 de junho de 2011

domingo, 12 de junho de 2011

O copo tá metade vazio, sim...

"Porque eu me sentia como se estivesse no inferno.
E compará-lo com o inferno de outra pessoa não diminui em nada a dor do meu.
Desculpe a metáfora sanguinolenta, mas, se estão serrando a perna de uma pessoa com uma serra de arco enferrujada, ela não se consola com o fato de que a pessoa na cela ao lado está sendo pregada numa mesa a marteladas."

"Soube então que a vida não respeitava circunstâncias. A força que atira em nós os desastres não diz: "Bem, não darei a ela aquele caroço no seio antes de pelo menos um ano. É melhor deixar que se recupere primeiro da morte da mãe." A vida simplesmente vai em frente e faz o que tem vontade, sempre que tem vontade.
Percebi que ninguém está imune à síndrome do desastre cumulativo."

Trechos do livro Melancia, de Marian Keyes.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Pirlimpimpim


O primeiro de muitos!

Lá nos anos 80, mais precisamente em 83, eu aprendi a ler. E eis que a partir daí eu descobri um mundo novo. Lógico, o mundo da literatura. Passei a ler tudo que via pela frente, na rua, na chuva, na fazenda e numa casinha de sapé. E na biblioteca da minha escola. E foi lá que eu descobri vários tesouros, que foram lidos e relidos à exaustão, mas, sem dúvida, o que me fez ser uma apaixonada e compulsiva por leitura foi a coleção do Monteiro Lobato, aquela que deu origem ao programa Sítio do Pica-Pau Amarelo, que não me agradava justamente por não mostrar o sítio que eu imaginava quando lia, aquele não era o sítio, ora, na minha cabeça ele era totalmente diferente, assim como as personagens.
Eu aprendi história, mitologia, geografia, gramática e mil coisas mais lendo esses livros. Viajei à Grécia antiga mil vezes com o pó de pirlimpimpim, ajudei o Héracles (que ainda não era Hércules) a resolver doze trabalhos, entrei no labirinto do Minotauro, visitei o verbo Ser, enfim, li toda coleção mais de uma vez e sempre quis tê-la só para mim.
E eis que, passeando pelos sebos em um dia ensolarado e frio de junho, na companhia da Carrie, eu vejo toda a coleção lá, numa prateleira, em perfeito estado, esperando por mim. E hoje ela mora aqui, na minha estante, e eu aguardo ter tempo de voltar a aspirar o pó de pirlimpimpim e visitar o sítio e a Grécia novamente, fazendo escala no sofá e ao lado do fogão de lenha da minha casa de infância, onde eu devorava todas aquelas histórias.
Tem como não ser apaixonada por sebos?


O baile todo!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

O quarto do poeta

Não há mais como visitar a Casa de Cultura Mário Quintana e ver a réplica do quarto do poeta sem lembrar desta descrição da Isa:


Os papéis amachucados no cesto, a cama por fazer e as beatas apagadas no cinzeiro de vidro quase nos dizem que ele ainda está ali, que saiu apenas para beber um café. Os óculos cuidadosamente colocados em cima da mesa, com as hastes para dentro, dizem-nos que não. Apesar da máquina de escrever e das resmas de papel rascunhado, que jazem em cima da mesa, darem a sensação de terem sido acabadas de preencher.

A luz é ténue, a decoração é de época e não há um mínimo sinal de extravagância. Nem sequer de modernidade.

Foi assim que foi deixado o quarto de Mário Quintana, na Casa de Cultura (ex-Hotel majestic), em Porto Alegre.

O poeta morreu há 6 anos mas a sua presença é sentida naquele quarto, mesmo que não lhe sintamos o cheiro e apenas a imaginação nos permita passar para lá do vidro que nos separa do ambiente em que viveu o escritor, que não faz parte da Academia de Letras Brasileira, nos últimos anos da sua vida.

sábado, 7 de maio de 2011

Às vezes, recupera-se a fé na humanidade...

Pra quem diz que os jovens de hoje não escrevem nada que preste (me included), leiam, que eu agarantio:

http://reuniaoprebaile.tumblr.com/

Senha: antimonotonia


P.S. Meu ex-aluno, orgulho rules!!!

Enviem comentários para: vin_gd@yahoo.co.uk

terça-feira, 26 de abril de 2011

Só uma palavrinha sobre Libertadores, por quem realmente sabe

Mas até o Rui Biriva???

Homenagem a um gremista imortal que deixará saudade! Jamais nos matarão!

segunda-feira, 28 de março de 2011

Deu (no New York Times) na Zero Hora

A chegada de uma massa de ar seco leva o vento frio para a maioria das regiões do Rio Grande do Sul, o que deve fazer com que as temperaturas caiam e a instabilidade diminua.

Continuem rezando, vocês que são de reza.

****

E o que dizer disto, fãs do esporte?

Tá, eu vou parar de ler jornal também.

Uma constatação (ou duas)

Mais um motivo, dentre os outros 358, porque eu não consigo mais assistir à televisão.


******

Nem o avião, nem os antibióticos, nem o computador, nem as naves espaciais... nenhuma invenção até hoje consegue ser tão útil quanto o IDENTIFICADOR DE CHAMADAS. Até hoje não se sabe ao certo quem inventou, mas, seja lá quem for, muito obrigada. Mesmo.

sábado, 26 de março de 2011

Era uma vez uma cidade...



239 anos. Porto Alegre faz aniversário e eu não posso deixar de, mais uma vez, citar a frase que eu disse um dia e depois ouvi o Scliar dizer (quem pensou nela primeiro eu não sei, mas gosto de saber que tive um pensamento em comum com ele):

"Porto Alegre não é só a minha cidade, Porto Alegre é a minha vida."

Parabéns, cidade dos meus versos!

sábado, 12 de março de 2011

Eis o homem!



São Portaluppi. O homem, o mito, o santo, o semideus que nos levará a libertar novamente a América!

quinta-feira, 10 de março de 2011

Perfect



Ator, músico, escritor, canta e ainda por cima sabe sambar... Oh, my!!!

Parece que o House viciado enfim vai voltar. Aguarda-se ansiosamente o 16º episódio.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Bate outra vez, com esperanças o meu coração...

E pra não dizer que não teve nenhuma notícia boa hoje, além da goleada do tricolor sobre o Cruzeiro-Poa, eis o que eu leio na previsão do tempo da Zero Hora:

A partir desta segunda-feira, os gaúchos já deverão experimentar uma prévia de como será o tempo ao longo deste outono. Além de noites mais longas e dias mais curtos, a temperatura durante a madrugada e pela manhã ficará cada vez mais baixa.

Eu espero, do fundo do meu coração, que a previsão se concretize.

Imortal

Porto Alegre hoje está hoje infinitamente mais triste e mais pobre. Sofremos uma grande perda, que está doendo muito forte em nosso peito. Embora saibamos que um gênio como ele não morre jamais, ainda assim...

Obrigada, Scliar, pela imensa obra que nos deixaste, obra esta que te fez e te fará sempre, imortal. Deixas também uma enorme saudade.



"Porto Alegre não é só a minha cidade, Porto Alegre é a minha vida."
Moacyr Scliar

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

sábado, 5 de fevereiro de 2011

A confissão de Silvana*

A pantalona marrom, cujas barras tremulavam frenéticas, formava desenhos estranhos no corredor da nave central. Quem, de dentro da igreja de Santo Onofre, olhasse para trás, diria ter visto uma aparição curiosa, inflando e desinflando pernas desproporcionais.

De fato, se os poucos fiéis, que rezavam baixinho nos ban­cos largos de madeira, tivessem se voltado para a porta no mo­mento em que Silvana parara ali, indecisa, teriam decifrado a verdade em seu coração: imperfeita, imponderada, impruden­te, inamável, inaplicada, incompetente, impura, insaciável.

Silvana abaixou a cabeça, dobrou os joelhos no limite de suas possibilidades — que não eram muitas — e cortejou o corpo de Cristo com o sinal-da-cruz; o Messias ali sofrendo por nós, suportando, inclusive, o peso das maiores tentações em nome da humanidade e ela, ela... precisava se confessar.

Silvana não era católica apostólica romana realmente praticante, mas necessitava, com uma ardência de queimadura fresca, buscar consolo para sua consciência. Sim, agora era tarde, e o mal já estava feito, mas quem sabe o arrependimento e a bênção de um padre aliviariam sua alma desgraçadamente pecadora?

Fosse qual fosse a penitência — e decerto ela seria gran­de — , estava disposta a pagar: ajoelhar sobre grãos de milho uma centena de noites rezando o terço, açoitar as próprias costas por nove anos com chicote de metal, cantar em louvor a Deus até desfalecer exangue, arrastar-se de joelhos pela maior escadaria de pedra do mundo, pelo resto da vida, nos aniversários do seu delito...

As solas dos sapatos de um homem estavam à mostra no confessionário. Silvana esperou.

Um murmúrio desviou seu olhar para o vitral em que a imagem de Nossa Senhora subia aos céus. Uma réstia de sol, através de uma parte vermelha do vitral, repousou em suas mãos. A luz lhe fez voltar à mente o horror da noite passada: o líquido rubro escorrendo pelos dedos, impregnando as unhas, deixando rastros indeléveis nas cutículas.

Baixou a cabeça, fechou os olhos e tentou rezar, todavia não se sentia capaz, não sem antes pedir perdão. Ao tentar levantar a cabeça, trombava com a mesma luz vermelha que se liquefazia diante de seus olhos e migrava tonta em direção aos pés, exatamente ali, onde uma gota mais espessa pingara no tapete creme.

O dono dos sapatos se levantou: o confessionário estava livre. Silvana, zonza, ajoelhou-se de sopetão.

— Padre, perdoa-me, porque pequei. Perdoa-me, padre, por favor!

A voz entrecortada por lágrimas abundantes não deixava dúvidas ao padre Eusébio: ali se encontrava uma alma em sofrimento pungente.

— Minha filha, estou aqui por ti, alivia a alma e conta: em que pecaste?

Silvana chorou por alguns minutos, pacientemente escol­tada pela bondade do sacerdote, até que, inspirando um lufada de ar, decidida, iniciou sua confissão.

— Padre, cometi o maior dos delitos para com a minha própria consciência. Mal consigo me olhar no espelho! Meu sofrimento moral é enorme, assim como meu arrependimen­to. Padre, padre... isso é muito delicado, mas eu confio no Senhor, confio no santo ministério da confissão e que isto ficará apenas entre nós e Deus.

Padre Eusébio empalideceu. Aquela não era, sem dúvida, uma confissão convencional. A ovelha desgarrada estreme­cia, em pranto ininterrupto. A coisa parecia séria e, por isso mesmo, sua curiosidade e seu medo em muito se aguçaram.

— Calma, filha. O que quer que me confesses, por certo ficará entre nós e Deus: mais ninguém. Abre teu coração.

— Graças a Deus, estou segura agora, não estou?

— Plenamente, filha.

— Padre, é triste. Minhas mãos manchadas, o tapete, meu corpo infectado, não consegui nem tomar banho, é humilhan­te! Padre, por favor, me dê o perdão de Deus e dos homens, por favor, eu lhe imploro!

O sacerdote, além de pálido, curioso e amedrontado, foi ficando aterrorizado. A moça parecia querer confessar um crime! Será? Ele recuou um pouco no confessionário, buscan­do distância segura, e continuou.

— Filha, o perdão de Deus será dado a ti perante a penitência necessária, afinal, o primeiro passo tu já deste: estás aqui. Arrependida, suplicando sossego à tua dor. Mas o perdão dos homens... por esse não posso me responsabilizar. Abre teu coração, filha, não temas, o que fizeste para se apresentar nesse estado de nervos?

Tendo a resposta se sufocado pelo choro convulsivo de Silvana, padre Eusébio fez cinco vezes o sinal-da-cruz en­quanto rezava fervorosa Ave-Maria, buscando inspiração para acalmar a pobrezinha.

— Filha, lembra-te dos ensinamentos de Jesus. A ovelha mais preciosa ao Reino dos Céus é justamente a que se perdeu: és tu, filha, tu! Para tanto, basta que me contes tudo e te prepares para a penitência com resignação.

Após assoar o nariz várias vezes ruidosamente, Silvana confessou.

— Padre, eu, eu comi três pedaços de pizza ontem, cheios de molho e muzzarela. Meu regime, padre, meu regime! Depois de meses em abstinência, tudo por água abaixo por causa de uma tentação dos infernos como é a pizza! Comi tão desesperadamente, tão cheia de desejos insalubres, que até me lambuzei de molho de tomate; o tapete, então, está cheio de manchas. Comi as bordas também: as bordas massudas! Tenho certeza de que engordei, no mínimo, uns dois quilos. Não consigo nem me olhar no espelho, padre, não posso mais, minha consciência está me matando! Me ajude!

Padre Eusébio enxugou na batina a fronte banhada em suor gelado, retirou um dos cartõezinhos que mantinha no bolso para casos como aquele e o passou, enroladinho, à pseudopecadora, pela fresta de madeira do confessionário.

— O que é isto, padre? — replicou Silvana.

— É o cartão da minha irmã, filha, ela é psicanalista. Vá com Freud e que Deus te acompanhe. Amém.


*Crônica extraída do livro Hoje Acordei Gorda (Mario Prata)

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Cada um na sua

Paraíso: polícia inglesa, cozinheiros franceses, carros alemães, amantes italianos e tudo organizado pelos suíços.

Inferno: polícia alemã, carros franceses, cozinheiros ingleses, amantes suíços e tudo organizado pelos italianos.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Heroico. Imortal. Tricolor.



Nada é fácil para o Grêmio, nunca. Mas e quem disse que o Grêmio é fácil para quem o enfrenta? Meu irmão profetizou no início do ano e profetiza a cada jogo: "Tudo vai dar certo" e eu fico repetindo como um mantra: tudo vai dar certo, tudo vai dar certo...
E deu. E vai dar. Vamos pra Libertadores pelas mão de São Portallupi, o predestinado.
2011 será o nosso ano. Grêmio, vamos contigo, para o que der e vier... (a pé, se preciso for).

Santo feriado, Batman

“Certa vez abalancei-me a um trabalho intitulado ‘Preguiça’. Constava do título e de duas belas colunas em branco, com minha assinatura no fim. Infelizmente, não foi aceito pelo supercilioso coordenador da página literária. Já viram desconfiança igual? Censurar uma página em branco é o cúmulo da censura. Em suma: o que prejudica a minha preguiça prejudica o meu trabalho”.
Mário Quintana

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Let it be

Sou só eu ou vocês também não veem a menor graça no twitter? Eu tento, tento, tento de novo, mas não dá, não consigo. Aí eu penso: vou sair, aí eu me lembro que não posso sair porque tem
http://twitter.com/#!/OCriador
Não tem como, né?

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Cabeça pra usar boné e professar a fé de quem patrocina

Fatos sobre o inferno

22h30. 30 graus.

Dificuldade para respirar, pensar, viver. Nessa ordem.

Que inveja de quem está na Rússia!

E ainda faltam uns três meses dessa tortura.

Posso morrer só até maio?

domingo, 30 de janeiro de 2011

Dúvida existencial

Após uma espetacular vitória no GRE-nada, a pergunta que não quer calar é:

Cholorados, se o time A perde para o Mazembe e o time B já perdeu duas no Gauchão (uma delas o GRE-nada), qual o time bom de vocês? Vocês têm algum? Se têm acho melhor apresentar logo, porque já está ficando constrangedor essa história de "time B", daqui a pouco vai faltar letra pra se justificar.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Arena facts

Post extraído do blog Azul, Preto e Branco

As obras já estão em andamento, mas ainda assim muitas dúvidas ainda ecoam nas cabecinhas vazias de alguns torcedores no que diz respeito ao projeto da nova Arena Gremista. Mesmo com todo o esforço do incansável Adalberto Preis à frente da Grêmio Empreendimentos, é comum nos depararmos com BLASFEMOS que ainda duvidam do sucesso e da grandiosidade do novo BUNKER TRICOLOR.



Para acabar de uma vez por todas com o CHORORÔ, separamos alguns pontos vitais sobre este assunto. O APB quer, através deste post, dar um CARRINHO POR TRÁS em todos aqueles que ousarem tecer comentários firulentos e IMPRODUTIVOS a respeito da nova morada gremista.



Aos fatos:



1. Todos os jogos na Arena já começam 1x0 para o Grêmio. Inclusive os jogos sem a participação do Grêmio.

2. Na Arena, chute do Jonas na trave é gol. Se a bola voltar pra ele chutar de novo, são 2 gols.

3. A Copa não será na Arena porque a Fifa não atende às exigências de qualidade da Arena, e não o contrário.

4. Uma missa dará a benção ao novo estádio quando ele for inaugurado. Ela será celebrada pelo Papa Gaúcho João Paulo II que retornará dos mortos especialmente para a ocasião.

5. Na arquibancada da Arena, a avalanche da Geral só pára quando atropelar o goleiro adversário. Isso não será considerado falta ou invasão.

6. Na Arena, o replay dos melhores momentos será ao vivo. Os jogadores vão refazer os lances mais emocionantes depois da partida.

7. Antes de invadir o Complexo do Alemão, o BOPE recebeu treinamendo com a equipe que fará a segurança na Arena. Todos rodaram.

8. A Arena vai disponibilizar wi-fi grátis para todos os torcedores acompanharem os outros resultados da rodada, inclusive dos jogos que não começaram.

9. Em noites de jogo, o Grêmio utliizará geradores próprios de energia elétrica para os refletores, evitando que o resto do RS fique sem luz.

10. A posição do gramado da Arena deixará sempre o goleiro adversário com o sol na cara. Nos dois tempos.

11. Os bares da Arena só venderão Johnny Walker Blue Label a preço de Natu Nobilis. O cachorro-quente será preparado pelo Chef Ramsay.

12. O hotel situado dentro do complexo da Arena terá 3 estrelas: Campeão Brasileiro, Campeão da América e Campeão do Mundo.

13. Um tour COMPLETO pelo novo Memorial do Grêmio na Arena levará aproximadamente 12 dias e terá hospedagem e transporte incluídos no ingresso.

14. A Arena Gremista não terá espaço reservado para tribuna de honra. Todos os assentos serão de honra.

15. Os estádios da Copa do Catar em 2022 foram baseados em rascunhos recusados para a Arena do Grêmio.

16. O ar-condicionado da Arena do Grêmio deve acabar com o aquecimento global em 2014.

17. Ao final do jogo, o torcedor que optar por assistir o jogo no setor de POLTRONAS poderá levar a sua pra casa como lembrança.

18. Renato solicitou cortesias para suas ex-namoradas comparecerem à inauguração da Arena. A direção do Grêmio educadamente negou devido a possibilidade real de SUPERLOTAÇÃO.