Do título

Do título

"Retórica dos namorados, dá-me uma comparação exata e poética para dizer o que foram aqueles olhos de Capitu. Não me acode imagem capaz de dizer, sem quebra da dignidade do estilo, o que eles foram e me fizeram. Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá idéia daquela feição nova. Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca."
( Dom Casmurro, Machado de Assis, cap. 32 )

segunda-feira, 31 de março de 2008

...É primeiro de abril!.... Diz que é primeiro de abril!

Bem que podia ter sido só uma brincadeira de primeiro de abril!

"-Escuta, que fim levou aquele cara? -Não ficaste sabendo? - Bailou, bailou na curva!!!"

CENA 8: 1º DE ABRIL
"Diz pro teu pai fazer golpe todos os dias, menos domingo, tá?".

(PALCO VAZIO. RUTH JOGA CINCO MARIAS. ENTRA ANA.)

ANA
Oh, Ruth! Tem uma aranha no teu cabelo!
RUTH
Onde? Tira! Tira!
ANA
Primeiro de abril!
RUTH
Guria chata! Vou contar para a minha mãe!
ANA
É brincadeira Ruth! Não tem aranha nenhuma! Tu não teve aula?
RUTH
Eu não e tu?
ANA
Também não.
(PEDRO E GABRIELA DE UNIFORME ESCOLAR.)
RUTH
Prá onde vocês vão?
PEDRO
Prá aula!
ANA
Não tem aula hoje!
PEDRO
Claro que tem!
ANA
Não tem não. Hoje é feriado!
(ENTRA PAULO NO CARRINHO DE LOMBA)
PAULO
Oba! Hoje é feriado!
PEDRO
Paulo, tu não vai na aula?
PAULO
Hoje é dia dos bobos. Quem vai à aula é bobo!
PEDRO
Tu pensa que eu sou trouxa! Vamos para a aula Gabriela.
GABRIELA
Eu vou ficar aqui com as gurias. Vou brincar de instituti.
PEDRO
Vou contar tudo prá mãe. E tu vai parar lá no fogo do inferno.
GABRIELA
Ih! Depois eu rezo três Pai-nosso e Deus do céu me perdoa.
(PEDRO SAI DE CENA. ENTRA CACO BRINCANDO COM UMA METRALHADORA.)
RUTH
Eu ouvi a minha mãe dizer lá em casa que não teve aula porque teve golpe militar.
CACO
O que é isso?
PAULO
É que nem revolução.
CACO
E que é revolução?
PAULO
É quem guerra.
GABRIELA
Mas como é que tem guerra se não tem soldado e nem bomba?
GABRIELA
(PREOCUPADA) Nós também?
PAULO
Se golpe não é guerra... o que é então?
GABRIELA
(PARA ANA) Pergunta pro teu pai.
PAULO
Ele é milico! Ele deve saber.
CACO
Ele tá em casa agora?
ANA
Pois faz duas semanas que ele não vai lá em casa.
RUTH
A culpa é dele, então. A culpa é dele da gente não ter aula hoje!
ANA
E tu queria ter aula?
RUTH
Não.
ANA
Então ele é bonzinho!
RUTH
Ele pode fazer isso sempre?
GABRIELA
Ana, diz pro teu pai fazer golpe todos os dias, menos domingo, tá?
CACO
Bá! O sapato da Gabriela tá furado!
GABRIELA
Onde?
CACO
Primeiro de abril.
ANA
Não é primeiro de abril! É que ela é pobre.
GABRIELA
O sapato que a minha priminha me deu.
PAULO
Depois eu colo com Araldite, tá?
PEDRO
(VOLTANDO) Não tinha aula mesmo!
GABRIELA
Viu, viu, viu cara de pavio. Vamos brincar?

CENA 9: MARCHA SOLDADO
"Silêncio! Está proibida de falar neste assunto!"

RÁDIO
Atenção para as últimas notícias. Porto Alegre urgente....
(ANA ENTRA EM CASA. MÃE PREOCUPADA OUVINDO O RÁDIO.)
ANA
Mãe...
MÃE
Psiu! Tua mãe está preocupada, Ana, por favor não me incomoda! O que tu queres?
ANA
Foi o pai que deu o golpe?
MÃE
Que golpe?
ANA
Os meus amigos me disseram que...
MÃE
Ana! Tu está proibida de falar neste assunto!
ANA
Cadê o pai?
MÃE
Está trabalhando.
ANA
Onde?
MÃE
E onde é que teu pai trabalha, Ana?
ANA
No quartel.
MÃE
Vai para o teu quarto te arrumar. Vai, Ana!
ANA
Mas eu tô arrumada!
MÃE
(GRITANDO) Vai para o teu quarto!
(ANA SAI RESMUNGANDO. AMEAÇA BATER NA MÃE. VOLTA O SOM DO RÁDIO. MUDANÇA DE LUZ. NA RUA, CACO, PAULO E PEDRO.)
PAULO
Eu estava com o taco bem na casinha!
MÃE DO CACO
Caco, meu filho, vem prá casa.
CACO
Eu tô brincando com os guris.
MÃE DO CACO
Pois agora tu vais ter que viajar. Entra no carro e nem um pio que o teu pai está muito nervoso.
(CACO SAI DE CENA COM A MÃE.)
PAULO
Onde é que o Caco foi?
PEDRO
Foi fugir.
PAULO
Fugir prá onde?
PEDRO
Não sei. Meu pai foi na tua casa ontem?
PAULO
Foi? Não sei.
(RUTH ENTRA, NERVOSA)

PAULO
Oh! Onde é que tu estava?
RUTH
Eu estava na janela do meu quarto... e vi quando a polícia chegou e levou o teu pai...
PEDRO
...É primeiro de abril!.... Diz que é primeiro de abril!
(RUTH NEGA COM UM LEVE MOVIMENTO DE CABEÇA.)
Vai lá prá tua casa, Pedro...
PEDRO
E a Gabriela?
RUTH
Ela já foi.
PEDRO
Então eu também vou... (SAI)
PAULO
Eu também vou... (SAI)
RUTH
Tchau...
(RUTH SAI. LUZES SE APAGAM. CENA NA CASA DO PAULO)
PAULO
Mãe, a polícia prendeu o pai do Pedro!
MÃE DO PAULO
Eu sei.
PAULO
E o pai?
MÃE DO PAULO
Por que está perguntando pelo teu pai, Paulinho?
PAULO
O pai também foi preso?
MÃE DO PAULO
Claro que não, meu filho, não diz uma coisa destas. Não te preocupa, tá?
(MÃE DE PAULO SENTA, O FILHO COLOCA A CABEÇA SOBRE SEU COLO. SILÊNCIO. COMEÇA A CANTAR. VOLTAM CACO E A SUA MÃE, DEPOIS ANA, PEDRO E RUTH. TODOS NUM CLIMA DE APREENSÃO CANTAM MARCHA SOLDADO, NUM TOM SINCOPADO, MELANCÓLICO)

Marcha soldado
Cabeça de papel
Se não marchar direito
Vai preso no quartel
Quartel pegou fogo
Francisco deu o sinal
Acuda acuda acuda
A bandeira nacional
(LUZES SE APAGAM.)

Trecho adaptado da peça Bailei na Curva.