Do título

Do título

"Retórica dos namorados, dá-me uma comparação exata e poética para dizer o que foram aqueles olhos de Capitu. Não me acode imagem capaz de dizer, sem quebra da dignidade do estilo, o que eles foram e me fizeram. Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá idéia daquela feição nova. Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca."
( Dom Casmurro, Machado de Assis, cap. 32 )

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Saudade demais, dor demais...

A Um Ausente

Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar. .
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto. Detonaste a vida geral,
a comum aquiescência de viver,
folhas caídas na hora de cair. .

Antecipaste a hora. Teu ponteiro enloqueceu,
enlouquecendo nossas horas. .
Que poderias ter feito de mais grave .
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar ...
por que depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso. .
Voz modulando sílabas conhecidas e banais.
que eram sempre certeza e segurança. . .

Sim, tenho saudades. . .
Sim, acuso-te porque fizeste o não previsto
nas leis da amizade e da natureza,
nem nos deixaste sequer o direito de indagar .
por que o fizeste, porque te foste. . . .

Carlos Drummond de Andrade

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Trilha Sonora

Não existem mais distâncias
Que possam me levar pra mais longe
Quando você dá partida
Sua nave se perde no espaço
Não quero mais migalhas
Você só me abandona
Me deixa esperando na linha
Quando não me quer
Se evapora feito gás
Pra você não passo de um brinquedo
Logo você cansa e depois joga fora

Você é tudo que eu quero
Você é tudo que eu quero

Não consigo mais pensar
Em coisas que até pouco eu sonhava
Se for pra ficar contigo
Não importa se corro perigo
Não entendo por que tanta pressa
Nem por que viver desse jeito
Como é que você quer que eu ande
Se você não me dá chão pra pisar
Pra você não passo de um brinquedo
Logo você cansa e depois joga fora

Você é tudo que eu quero
Você é tudo que eu quero

( Garotos da Rua )