Do título

Do título

"Retórica dos namorados, dá-me uma comparação exata e poética para dizer o que foram aqueles olhos de Capitu. Não me acode imagem capaz de dizer, sem quebra da dignidade do estilo, o que eles foram e me fizeram. Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá idéia daquela feição nova. Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca."
( Dom Casmurro, Machado de Assis, cap. 32 )

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

A saga de um atendimento ( ou...desliguem meus aparelhos AGORA )

Baseado em fatos reais ( qualquer semelhança não será coincidência, será icompetência mesmo )

1ª ligação:

-Net, Fulaninha, boa noite, com quem eu falo, por gentileza?
-Boa noite! Silvana.
-Seu código de assinante ou cpf, senhora?
-11111111111111111
-Seu signo, cor preferida e preferência sexual?
-Blá,blá,blá..
-Em que posso ajudá-la, senhora?
-Estou sem conexão há dias, sem telefone,blá,blá,blá, wiskhas sachet, quero solicitar uma visita técnica.
-A senhora terá que "estar ligando" para o número tal.*
-Não tem como me transferir?
-Não, a senhora terá que estar ligando..
-Ok, ok, obrigada.
-A net agradece sua ligação e uma boa noite.

*o número tal não é ligação gratuita.


2ª ligação

-Net, Ciclaninho, boa noite, com quem eu falo, por gentileza?
-Boa noite! Silvana.
-Seu código de assinante ou cpf, senhora?
-11111111111111111
-Seu signo, cor preferida e preferência sexual?
-Blá,blá,blá..
-Em que posso ajudá-la, senhora?
-Estou sem conexão há dias, sem telefone,blá,blá,blá, wiskhas sachet, quero solicitar uma visita técnica.
-Antes eu preciso "estar fazendo" alguns testes, mas para isso a senhora terá que "estar ligando" de outro telefone que não seja o netfone.
-Ok.
-A net agradece sua ligação e u...


3ª ligação

-Net, Beltraninha, boa noite, com quem eu falo, por gentileza?
-Boa noite! Silvana.
-Seu código de assinante ou cpf, senhora?
-11111111111111111
-Seu signo, cor preferida e preferência sexual?
-Blá,blá,blá..
-Em que posso ajudá-la, senhora?
-Estou sem conexão há dias, sem telefone,blá,blá,blá, wiskhas sachet, quero solicitar uma visita técnica, me pediram pra ligar de um outro telefone que não fosse o netfone pra fazerem os testes, blá,blá,blá...Vai demorar? Estou ligando de um celular.
-A senhora não ligou no número gratuito?
-Não. Me disseram que não podia ser no gratuito, que tinha que que ser neste.
-Mas a senhora pode ligar no gratuito. A senhora quer ligar de novo?
-Quero, obrigada.
-A net agradece sua ligaç....


4ª ligação


-Net, Pafúncia, boa noite, com quem eu falo, por gentileza?
-Boa noite! Silvana.
-Seu código de assinante ou cpf, senhora?
-11111111111111111
-Seu signo, cor preferida e preferência sexual?
-Blá,blá,blá..
-Em que posso ajudá-la, senhora?
-Estou sem conexão há dias, sem telefone,blá,blá,blá, wiskhas sachet, quero solicitar uma visita técnica, me pediram pra ligar de um outro telefone que não fosse o netfone pra fazerem os testes, blá,blá,blá...
-Um momento que vou verificar se é um problema na sua região.
-Ok.
( pausa )
-Só mais um momento, senhora.
( pausa )
-Só mais um momento, senhora.
( pausa )
-Só mais um momento, senhora.
( pausa )
-Obrigada por ter aguardado, senhora. Não há nenhum problema na sua região. Os cabos estão bem conectados?
-Estão.
-Vou estar fazendo alguns testes. Aguarde, por favor.
-Ok.
pausa )
-Só mais um momento, senhora.
( pausa )
-Só mais um momento, senhora.
( pausa )
-Só mais um momento, senhora.
( pausa )
-Obrigada por ter aguardado, senhora. A senhora terá que "estar retornando" a ligação pois estamos com "pobremas sistemáticos" ( eu juro, eu juro, eu juro que ela disse isso )
-Hããã??? Não acreditooooo...
-Infelizmente, senhora, estamos com pobremas sistemáticos.
-Mas já é a quarta ligação que eu faço, não aguento mais, blá,blá,blá...pqp...
-Mais alguma coisa, senhora?
-Não.
-A Net agradece a sua lig...


5ª ligação

-Net, Ciclano, boa noite, com quem eu falo, por gentileza?
-Boa noite! Silvana.
-Seu código de assinante ou cpf, senhora?
-11111111111111111
-Seu signo, cor preferida e preferência sexual?
-Blá,blá,blá..
-Em que posso ajudá-la, senhora?
-Estou sem conexão há dias, sem telefone,blá,blá,blá, wiskhas sachet, quero solicitar uma visita técnica, me pediram pra ligar de um outro telefone que não fosse o netfone pra fazerem os testes, blá,blá,blá...
-Um momento que vou verificar se é um problema na sua região.
-Já verificaram isso.
( pausa )
-Só um momento, senhora.
( pausa )
-Só mais um momento, senhora.
( pausa )
-Só mais um momento, senhora.
( pausa )
-Obrigada por ter aguardado, senhora. Não há nenhum problema na sua região. Os cabos estão bem conectados?
-Estão. Já verificaram isso também.
-Vou estar fazendo alguns testes, pois se eu agendar a visita antes e ela for improdutiva a senhora vai ser cobrada. Aguarde, por favor.
-Ok.
( pausa )
-Só mais um momento, senhora.
( pausa )
-Só mais um momento, senhora.
( pausa )
-Só mais um momento, senhora.
( pausa )
-Vou agendar uma visita técnica para quarta-feira.
-Quarta eu só posso a partir das 17hs.
( pausa )
-Só um momento, senhora.
( pausa )
-Só mais um momento, senhora.
( pausa )
-Só mais um momento, senhora.
( pausa )
-Obrigada por ter aguardado, senhora.Agendei para quarta entre 15 e 18hs.
-Mas eu já disse que só posso depois das 17hs.
-Ok. Eu agendei depois das 15hs, mas eles só vão depois das 17hs. Anote o protocolo, por favor.
-Ok.
-Mais alguma informação, senhora?
-Vocês são retardados? ( essa foi a única que não foi dita )
-Não.
-A Net agrad...

Aguarde o próximo capítulo ( se houver conexão, claro ), quarta depois das 20hs ( sim, porque ela agendou entre 15 e 17hs, mas eles só vêm às 20hs, anos de prática )

Vou ali cortar os pulsos com papel sulfite e já volto...

terça-feira, 18 de novembro de 2008

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Trilha Sonora

Porque eu ouvi muito esta música antes de tudo acontecer. Porque agora ela faz mais sentido. Porque eu amo o Vítor Ramil.

Deixa Eu Me Perder ( Vítor Ramil )

Deixa eu me perder
Pequeno mundo meu
Menos que esquecer
Ficar dizendo coisas
Que não me vêm

Ontem eu sumi
Parece estranho, eu sei
Mas escureceu
Pequeno mundo meu
Eu anoiteci

Perdido dentro da paisagem
O carro leva minha imagem
Não acho o que me dizer
Não sei o que quero achar
No rádio essa voz me diz
Que a vida é o melhor lugar
Pode ser

Tudo que eu segui
Viaja atrás de mim
Coisas, quando vêm
São coisas que se vão
Sem eu perceber

Amanhã também
Parece estranho, eu sei
Mas eu vou sair
Pequeno mundo meu
Deixa eu me perder

Perdido dentro da paisagem
O carro leva minha imagem
Não acho o que me dizer
Não sei o que quero achar
No rádio essa voz me diz
Que a vida é o melhor lugar
Pode ser

Deixa eu me perder

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Finalmente



Ele voltou! É amanhã! Pára tudo...

terça-feira, 7 de outubro de 2008

DOR, em maíusculo...

Post inspirado na série "Sonhei que a Neve Fervia" de Fal Azevedo, uma de minhas maiores referências literárias ( e de vida), além de ser meu perfume de maçã verde.
( Em negrito: Pedaço de Mim, Chico Buarque )

“Toda a tristeza dos rios é não poderem parar.” Mário Quintana

Oh, pedaço de mim.
Oh, metade afastada de mim.

Eu nunca vou esquecer aquele dia. O dia em que eu soube que você ia chegar. Eu ainda posso sentir toda aquela ansiedade, o medo de fazer o exame, como o tempo passou devagar enquanto eu esperava o resultado, o medo de abrir o envelope e, finalmente, o positivo, aquele papel dizia que você estava ali. Eu nunca havia me sentido tão feliz.

Leva o teu olhar
Que a saudade é o pior tormento
É pior do que o esquecimento
É pior do que se entrevar
.


A minha vida mudou totalmente naquele momento. Eu só pensava em você, em como você seria, quando ia poder te ver, como seria o seu rosto. Eu conversava com você antes de dormir. Eu contava pra todo mundo, queria que todos soubessem que você viria. Daquele momento em diante eu tomava cuidado ao subir e descer escadas, ao caminhar, ao atravessar a rua, eu me protegia de tudo porque eu queria proteger você.

Oh, pedaço de mim.
Oh, metade exilada de mim.

Eu e a sua “tchiaFal chamávamos você de Rodolfo Henrique e ríamos, ela também estava tão feliz... Todos estavam. Você foi tão querido, tão desejado, tão amado.As manhãs passaram a ser diferentes também. Você era o meu primeiro pensamento ao acordar e último ao dormir. Você ainda é.

Leva os teus sinais
Que a saudade dói como um barco
Que aos poucos descreve um arco
E evita atracar no cais

Aquela manhã foi diferente das outras, eu soube, me disseram que não estavam ouvindo o seu coração e que isso podia ser porque você ainda era muito pequeno, mas eu soube, eu soube que você havia ido embora. Foi um dia inteiro de angústia até isso ser confirmado. Até me dizerem que eu havia perdido você.

Oh, pedaço de mim.
Oh, metade arrancada de mim.

O dia seguinte foi interminável. A dor. A dor em estado sólido, uma dor que era quase tangível na manhã de um sábado gelado e ensolarado. Aquele sol que entrava pela janela e machucava, o vento frio, e eu só pensava em como poderia ter sol, como aquele dia podia ser tão bonito se você não estava mais ali, como o sol poderia doer tanto. Desde aquele dia, sempre que eu vejo o sol eu tenho essa sensação.

Leva o vulto teu.
Que a saudade é o revés de um parto.
A saudade é arrumar o quarto.
Do filho que já morreu.

O choro das crianças no hospital. Dor. A espera, exames, a solidão. Dor, dor, dor. A anestesia e a vontade de não precisar voltar. O abandono, o descaso, o medo, a perda. A sensação de ter sido mutilada, da vida ter sido tirada de dentro de mim. DOR.

Oh, pedaço de mim.
Oh, metade amputada de mim.

Eu nunca vou ver o seu rosto. Nunca vou poder pegar você no colo, nem te contar de como eu fui feliz de ter você comigo. Nunca vou ler pra você, nunca vou pegar na sua mão, nem brincar com você. Você nunca vai fazer desenhos pra mim.Não vou poder ficar sem palavras com as suas perguntas sem resposta. Não vou poder dizer o quanto te amei e ainda amo.

Leva o que há de ti
Que a saudade dói latejada
É assim como uma fisgada
No membro que já perdi

Eu sou cética, não acredito em outras vidas, em anjos, em seres superiores, todas essas coisas em que as pessoas buscam se consolar. Talvez fosse mais fácil se eu acreditasse. Se eu pudesse acreditar que você pode me ouvir, que há um motivo, que há uma explicação. Talvez. Mas eu nunca vou saber.

Oh, pedaço de mim.
Oh, metade adorada de mim.

A única certeza que eu tenho é de que nunca mais vou ser a mesma. De que ninguém nunca vai poder substituir você. E da dor. A dor que eu sinto quando vejo uma criança, quando falo com as pessoas, quando ouço uma música, quando sou obrigada a sorrir, quando eu respiro.

Lava os olhos meus
Que a saudade é o pior castigo
E eu não quero levar comigo
A mortalha do amor
Adeus

Eu continuo aqui, eu vou em frente porque não tenho outro lugar pra ir, porque não tenho opção. Não sei se um dia vou conseguir te dizer adeus. Você pode ter ido embora, mas você continua aqui, no meu coração você vai estar pra sempre.

Imperdível


Você já foi ao Rio? Não? Então vá!! Mas vá quinta-feira e a beije e abrace bem muito por mim.
Se você ainda não se apaixonou pela Fal é só porque ainda não conhece. Mas isso é uma questão de tempo. Pouco. Sucesso, Fal. Você merece muito, muito, muito.


domingo, 24 de agosto de 2008

Assim não pode, assim não dá...

E eis que em apenas alguns minutos, assistindo a um noticiário no Globo News, a pessoa leva dois socos no estômago em sequência. No primeiro, a dona jornalista nos dá a triste notícia de que: "os juros 'deve' continuar subindo", para logo depois vir outro contar a história de um acidente em que morreu um casal em lua-de-mel e "a família ainda não 'decidiram' onde vai ser o funeral". As notícias já são ruins, tinham que vir com requintes de crueldade? Jornalista eu não admito. Jornalista não. Eu tenho medo do que as universidades estão despejando no mundo. Medo. Desliguei a tv e fui ler Veríssimo. Humpf.

sábado, 23 de agosto de 2008

Uma constatação

Em todos esses anos, nesta indústria vital, esta é a primeira vez que isso me acontece...

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

domingo, 13 de julho de 2008

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Eu gosto dos que tem fome, dos que morrem de vontade, dos que secam de desejo, dos que ardem....

Lembrei do poema do Pessoa hoje. Porque não tenho mais paciência pra essa gente que tem solução pra tudo, que diz tudo que eu tenho que fazer, como tenho que fazer e o porquê. Gente que não admite nem para si mesma suas fraquezas, sua impotência. Gente que lê aquele livro, ou aqueles, e acha que vai mudar as coisas. Gente que indica o livro junto com o discurso de que se você não acreditar não adianta. Gente que julga as atitudes alheias. Que diz como eu devo pensar. Que diz que fala isso para o seu bem e porque é seu amigo. Gente pró-ativa, que dá feedback, que é multi-tarefa, que não perde tempo, que se relaciona pra cuidar do seu network e fazer marketing pessoal. Gente que não chora, ou chora escondido, porque não pode demonstrar tristeza, o mundo não gosta de pessoas tristes. Gente que tem uma dúzia de clichês e frases feitas na ponta da língua. Que nunca se humilhou. Que nunca sofreu. Gente que não sente raiva, que nunca sentiu uma ponta de inveja, que nunca sentiu dor. Que só gosta de quem gosta delas. Que tem auto-estima. Que nunca sente pena de si mesma. Que nunca se sentiu ridícula por ter escrito ou ligado. Que nunca sentiu vergonha e nem remorso. Que não guardam rancor e só tem sentimentos bons. Que ama a razão e não o alguém. Que nunca se arrependeu. Que só se arrepende do que não fez. Gente que diz: "se eu fosse você....", que não fala alto, que nunca perde o controle. Que só pensa positivo. Que manda você só pensar positivo.Gente bonita. Que está na moda, que é in. Gente como a bailarina da música do Chico Buarque.
Mas Fernando Pessoa, sob o heterônimo de Álvaro de Campos é que o disse tão bem:

POEMA EM LINHA RETA

Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo,
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
Para fora da possibilidade do soco;
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.

Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes - na vida...

Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó príncipes, meus irmãos...

Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo?

Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?

Poderão as mulheres não os terem amado,
Podem ter sido traídos - mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
Eu, que venho sido vil, literalmente vil,
Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.

Álvaro de Campos

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Insônia 10 x Silvana 0

Alguém, por favor, saberia me indicar uma simpatia, reza braba, macumba, ritual de magia negra, branca, de qualquer cor, que me faça dormir? Tirando isso aí, já tentei de tudo e nada adiantou.

Risco Duplo na tv pela 254ª vez. Bom, se é pra reprisar, melhor que seja este, podia ser O Show de Truman.

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Das não-amizades e tantos outros...

“Se você quer ser meu amigo, então aceite a minha vontade e não me julgue.” ( frase do filme Mar Adentro, de Alejandro Amenábar, que tem Javier Bardem no elenco, só pra constar ). Mesmo que o filme não fosse bom, valeria a pena só por esta frase..

***************

E então eu não levei o lixo pra rua, não recolhi a roupa, não fiz a unha, não quis companhia pro almoço, não preparei as aulas, não aluguei nenhum filme, não assisti House, não li, não lavei o cabelo, não respondi os e-mails, não li alguns, não tomei café, não jantei, não tomei as vitaminas, não estudei...não fiz nada do que tinha que fazer e não, não esqueci você nem por um segundo....

sábado, 31 de maio de 2008

Silvana precisa - by Google 2 - a missão

Eu já tinha feito isto aqui, mas com um dia frio de renguear cusco como este, com os neurônios congelando, resolvi perguntar novamente ao Google, nosso Oráculo de Delfos da atualidade, o que eu preciso ( além de um cobertor de orelha ). Pra quem quiser fazer: é só digitar o "nome + precisa" lá no serviço de utilidade gúglica e pesquisar. Sim, eu tenho mais o que fazer e deveria estar fazendo. Sigam meu conselho: vão ler Borges, que é melhor...

Resultados para: Silvana + precisa:

"Silvana precisa garantir o emprego e, para tal, procurava um look mais confiante." ( meu emprego tá dependendo do look? Tô ralada... )

"E Silvana logo mostrou que estava pronta para estar entre as melhores." ( isso eu já sabia )

"Além do protetor solar, Silvana precisa usar chapéu para se proteger do sol. ''O chapéu não atrapalha, fica até elegante''. Ela diz que não usa sombrinha ..." ( nunca usei, mas acho bonito...)

"A entrevista com a Silvana precisa ser muito bem enquadrada conforme o foco do programa. O que queremos saber dela?" ( pode perguntar, não tenho nada a esconder )

"A Silvana precisa falar mais com você." ( é verdade, por que você não liga mais pra ela?)

"Aqui poderá encontrar um lista de buffets cadastrados na cidade de Santa Silvana. Não precisa mais procurar em diversos site para encontrar." ( eu sou tão santa que tem até cidade com o meu nome, fica no caminho pra Pelotas, vejam só )

"Deus: Silvana, você que nunca acreditou que eu existo, agora eu falo com você e te perdôo, pois você é minha filha e sei que tem o coração bom, só precisa praticar mais o bem ..." ( eu juro pra vocês que tinha isso no google..ok, eu vou praticar mais o bem, mas continuo não acreditando )

"Silvana não é mais a Advogada da ACS." ( eu nem queria mais mesmo )

"Silvana também ressaltou que assessores e jornalistas devem ser parceiros." ( parceria é tudo, meus amigos )

"Silvana, você precisa mesmo de ajuda..." ( capaz???? )

"Silvana: Aproxime-se, garoto. Venha para cá." ( venha, tá esperando o quê? )

“Não precisa dizer nada. ... Silvana" ( ok, só não garanto por quanto tempo )

"Olá, Silvana. Não precisa ser bipolar para querer matar seu marido e a ex-mulher naquele momento." ( bahh, essa foi forte )

"Silvana, estas simpatias são específicas para o final de ano. ..." ( tem alguma pra pararem de me mandar aqueles e-mails com power points de mensagens de auto-ajuda? )

"Sabe, Silvana, você tá precisando se abrir muito, porque sua situação ..." ( eu sei, minha situação...bahhh, nem queira saber )

"A Silvana é uma máquina de guerra ..." ( eu??? depois desta até parei )

segunda-feira, 26 de maio de 2008

O frio, para o gaúcho...

25ºC
Baianos ligam o ar quente.
Gaúchos limpam o jardim.

20ºC
Sergipanos tremem incontrolavelmente de frio.
Gaúchos tomam sol no parque.

15ºC
Carros na Paraíba não ligam mais.
Gaúchos dirigem com os vidros abaixados.

10ºC
Cariocas usam sobretudo, cuecas de lã, luvas e toucas.
Gaúchos botam uma camisa de manga comprida.

5ºC
Toda a população do Maranhão morre.
Gaúchos fecham as janelas de casa.

0ºC
Roraima se desintegra.
Gaúchos fazem o último churrasco no pátio, antes que esfrie.

-10ºC
Amazonenses fogem para o Deserto do Sahara.
Gaúchos começam a tirar os casacos quentes do armário.

-200ºC
Papai Noel foge do Pólo Norte.
Gaúchos ficam frustrados que o carro não liga.

-273ºC
Cessa toda a movimentação atômica (zero absoluto)
Gaúchos começam a dizer: ‘Tá começando a esfriar, tchê!"

( Desconheço a autoria )

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Zélia

Perdemos Zélia Gattai. A Zélia de "Anarquistas, graças a deus!", de " Um Chapéu para Viagem", de "Senhora Dona do Baile", de tantos outros... A Zélia que amou Jorge...Jorge que amou Zélia e viveram esse amor tão lindo, tão perfeito como sempre deveria ser. Zélia que envelheceu do lado de seu amado. Do seu Jorge. Zélia que viveu o seu amor, que perdeu o seu amor e que agora nós perdemos. Zélia que foi feliz.

quinta-feira, 1 de maio de 2008

O que é isso, companheiros??

Eu ia passar o feriado assim:

Mas não podia deixar de me juntar às massas.

A companheira Fal registrou o momento histórico da nossa manifestação contra a exploração do trabalho assalariado.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Reeditando



E então elas saíram, todas, se libertaram... Deixaram a redoma de medo onde viviam... Foram até seu destino para que enfim cumprissem seu papel... Revelaram-se e entregaram-se por inteiro... Voltaram trazendo um acréscimo imensurável de felicidade, de êxtase, de sonho que se transforma em realidade, para, logo em seguida serem soterradas pelo silêncio. Esmagadas, mas cientes do dever cumprido... De volta à sua condição de palavras...

************************

Do que me basta
( Para J )

Não preciso de um rótulo,
me basta teu beijo pela manhã;
Não preciso do teu ar,
basta ver-me refletida nos teus olhos;
Não preciso controlar teus pensamentos,
me basta pertencer a eles;
Não preciso de palavras,
me basta o desejo que transpiras;
Não preciso de promessas,
me basta tua voz mesmo que longe;
Não preciso de tua liberdade,
me basta que te prendas por vontade;
Não te preciso meu,
me basta ser tua...

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Da série: Dialetos*

Em quase todas as regiões do país encontramos uma linguagem característica, expressões e palavras típicas, quase um idioma próprio. Aqui no Rio Grande do Sul, como não poderia deixar de ser, temos várias ( tchê, bah, aham, tri, etc..) , mas nenhuma é tão versátil como o "capaz". Usa-se o capaz para quase tudo, e , dependendo da entonação, pode significar uma série de coisas diferentes.
Por isso, caso você esteja pensando em vir para estas bandas, leia antes o Manual Prático do Capaz:

- Aconteceu tal coisa .
- Capaz???!!!! ( nesse caso a pessoa quis dizer: não acredito!!! sério?? )

- Obrigada por tudo!
- Capaz! ( aqui quer dizer: imagina, não foi nada! )

- Verdade, tô te falando!
- Capázzz!!! ( que mentira! )

- Quer comprar um livro do Paulo Coelho?
- Bem capaz!!!!!!!!! ( DE JEITO NENHUM )

- Vou fazer tal coisa.
- Bem capaz! ( dito em tom meio irônico quer dizer: vai nada, duvido! )

- Você precisa ler " o Segredo ".
- Bem capaz mesmo!!! ( é óbvio que não!!!!! )

- Vamos sair ? ( na hora que está passando House )
- Mas bem capaz mesmo!!!!!!!!! ( ficou louco/a ????????? )

- Tu vais fazer isso mesmo?
- Capaz que não!!!! ( é claro que sim )

E por aí vai....

* Ler ao som de " Capaz " , Kleiton e Kledir.

Para quem quiser aprofundar os estudos:

http://www.youtube.com/watch?v=7ZwCTOY4WqY

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Tarde de outono...

Ela observa o parque de sua janela. Foi uma tarde quente de abril. Um dia atípico. Outono, com contornos de primavera. Domingo.
- Quer me ver? – perguntou ele.
Ela aceitou. O convite já havia sido feito antes, porém não fora levado a sério. Mas aquele era um dia atípico. Assim como também foi totalmente atípica a forma como ela o deixou entrar em sua vida.
Encontraram-se no parque. Ele elogiou seus olhos, ela ficou sem graça. Se existe um momento exato em que o amor acontece, poderia ter sido esse. Até hoje ela se pergunta quando foi. Se poderia ter evitado. Se teria evitado.
Amanhã faz um ano.
Hoje. Domingo. Tarde chuvosa e fria de abril. Ela observa o parque de sua janela.....

segunda-feira, 31 de março de 2008

...É primeiro de abril!.... Diz que é primeiro de abril!

Bem que podia ter sido só uma brincadeira de primeiro de abril!

"-Escuta, que fim levou aquele cara? -Não ficaste sabendo? - Bailou, bailou na curva!!!"

CENA 8: 1º DE ABRIL
"Diz pro teu pai fazer golpe todos os dias, menos domingo, tá?".

(PALCO VAZIO. RUTH JOGA CINCO MARIAS. ENTRA ANA.)

ANA
Oh, Ruth! Tem uma aranha no teu cabelo!
RUTH
Onde? Tira! Tira!
ANA
Primeiro de abril!
RUTH
Guria chata! Vou contar para a minha mãe!
ANA
É brincadeira Ruth! Não tem aranha nenhuma! Tu não teve aula?
RUTH
Eu não e tu?
ANA
Também não.
(PEDRO E GABRIELA DE UNIFORME ESCOLAR.)
RUTH
Prá onde vocês vão?
PEDRO
Prá aula!
ANA
Não tem aula hoje!
PEDRO
Claro que tem!
ANA
Não tem não. Hoje é feriado!
(ENTRA PAULO NO CARRINHO DE LOMBA)
PAULO
Oba! Hoje é feriado!
PEDRO
Paulo, tu não vai na aula?
PAULO
Hoje é dia dos bobos. Quem vai à aula é bobo!
PEDRO
Tu pensa que eu sou trouxa! Vamos para a aula Gabriela.
GABRIELA
Eu vou ficar aqui com as gurias. Vou brincar de instituti.
PEDRO
Vou contar tudo prá mãe. E tu vai parar lá no fogo do inferno.
GABRIELA
Ih! Depois eu rezo três Pai-nosso e Deus do céu me perdoa.
(PEDRO SAI DE CENA. ENTRA CACO BRINCANDO COM UMA METRALHADORA.)
RUTH
Eu ouvi a minha mãe dizer lá em casa que não teve aula porque teve golpe militar.
CACO
O que é isso?
PAULO
É que nem revolução.
CACO
E que é revolução?
PAULO
É quem guerra.
GABRIELA
Mas como é que tem guerra se não tem soldado e nem bomba?
GABRIELA
(PREOCUPADA) Nós também?
PAULO
Se golpe não é guerra... o que é então?
GABRIELA
(PARA ANA) Pergunta pro teu pai.
PAULO
Ele é milico! Ele deve saber.
CACO
Ele tá em casa agora?
ANA
Pois faz duas semanas que ele não vai lá em casa.
RUTH
A culpa é dele, então. A culpa é dele da gente não ter aula hoje!
ANA
E tu queria ter aula?
RUTH
Não.
ANA
Então ele é bonzinho!
RUTH
Ele pode fazer isso sempre?
GABRIELA
Ana, diz pro teu pai fazer golpe todos os dias, menos domingo, tá?
CACO
Bá! O sapato da Gabriela tá furado!
GABRIELA
Onde?
CACO
Primeiro de abril.
ANA
Não é primeiro de abril! É que ela é pobre.
GABRIELA
O sapato que a minha priminha me deu.
PAULO
Depois eu colo com Araldite, tá?
PEDRO
(VOLTANDO) Não tinha aula mesmo!
GABRIELA
Viu, viu, viu cara de pavio. Vamos brincar?

CENA 9: MARCHA SOLDADO
"Silêncio! Está proibida de falar neste assunto!"

RÁDIO
Atenção para as últimas notícias. Porto Alegre urgente....
(ANA ENTRA EM CASA. MÃE PREOCUPADA OUVINDO O RÁDIO.)
ANA
Mãe...
MÃE
Psiu! Tua mãe está preocupada, Ana, por favor não me incomoda! O que tu queres?
ANA
Foi o pai que deu o golpe?
MÃE
Que golpe?
ANA
Os meus amigos me disseram que...
MÃE
Ana! Tu está proibida de falar neste assunto!
ANA
Cadê o pai?
MÃE
Está trabalhando.
ANA
Onde?
MÃE
E onde é que teu pai trabalha, Ana?
ANA
No quartel.
MÃE
Vai para o teu quarto te arrumar. Vai, Ana!
ANA
Mas eu tô arrumada!
MÃE
(GRITANDO) Vai para o teu quarto!
(ANA SAI RESMUNGANDO. AMEAÇA BATER NA MÃE. VOLTA O SOM DO RÁDIO. MUDANÇA DE LUZ. NA RUA, CACO, PAULO E PEDRO.)
PAULO
Eu estava com o taco bem na casinha!
MÃE DO CACO
Caco, meu filho, vem prá casa.
CACO
Eu tô brincando com os guris.
MÃE DO CACO
Pois agora tu vais ter que viajar. Entra no carro e nem um pio que o teu pai está muito nervoso.
(CACO SAI DE CENA COM A MÃE.)
PAULO
Onde é que o Caco foi?
PEDRO
Foi fugir.
PAULO
Fugir prá onde?
PEDRO
Não sei. Meu pai foi na tua casa ontem?
PAULO
Foi? Não sei.
(RUTH ENTRA, NERVOSA)

PAULO
Oh! Onde é que tu estava?
RUTH
Eu estava na janela do meu quarto... e vi quando a polícia chegou e levou o teu pai...
PEDRO
...É primeiro de abril!.... Diz que é primeiro de abril!
(RUTH NEGA COM UM LEVE MOVIMENTO DE CABEÇA.)
Vai lá prá tua casa, Pedro...
PEDRO
E a Gabriela?
RUTH
Ela já foi.
PEDRO
Então eu também vou... (SAI)
PAULO
Eu também vou... (SAI)
RUTH
Tchau...
(RUTH SAI. LUZES SE APAGAM. CENA NA CASA DO PAULO)
PAULO
Mãe, a polícia prendeu o pai do Pedro!
MÃE DO PAULO
Eu sei.
PAULO
E o pai?
MÃE DO PAULO
Por que está perguntando pelo teu pai, Paulinho?
PAULO
O pai também foi preso?
MÃE DO PAULO
Claro que não, meu filho, não diz uma coisa destas. Não te preocupa, tá?
(MÃE DE PAULO SENTA, O FILHO COLOCA A CABEÇA SOBRE SEU COLO. SILÊNCIO. COMEÇA A CANTAR. VOLTAM CACO E A SUA MÃE, DEPOIS ANA, PEDRO E RUTH. TODOS NUM CLIMA DE APREENSÃO CANTAM MARCHA SOLDADO, NUM TOM SINCOPADO, MELANCÓLICO)

Marcha soldado
Cabeça de papel
Se não marchar direito
Vai preso no quartel
Quartel pegou fogo
Francisco deu o sinal
Acuda acuda acuda
A bandeira nacional
(LUZES SE APAGAM.)

Trecho adaptado da peça Bailei na Curva.

terça-feira, 25 de março de 2008

26 de Março: Aniversário de Porto Alegre, meu canto no mundo...

Em Moscou, no Japão, onde vou não importa...Porto Alegre é meu porto...

Afinal...pra que Paris se está tão longe, se aqui sou tão feliz...

Parabéns, cidade dos meus versos! Feliz Aniversário!

E como vocês podem confirmar no vídeo:

A melhor vista de Porto Alegre continua sendo a de sempre:

A vista de quem volta...

video

O mapa

Olho o mapa da cidade

Como quem examinasse

A anatomia de um corpo...

(E nem que fosse o meu corpo!)

Sinto uma dor infinita

Das ruas de Porto Alegre

Onde jamais passarei...Há tanta esquina esquisita,

Tanta nuança de paredes,Há tanta moça bonita

Nas ruas que não andei

(E há uma rua encantada

Que nem em sonhos sonhei...)

Quando eu for, um dia desses,

Poeira ou folha levada

No vento da madrugada,

Serei um pouco do nada

Invisível, delicioso

Que faz com que o teu ar

Pareça mais um olhar,

Suave mistério amoroso,

Cidade de meu andar

(Deste já tão longo andar!)

E talvez de meu repouso...

Mário Quintana

quinta-feira, 13 de março de 2008

Santa placa, Batman!



Eu sabia que não ia demorar pra sair minha canonização...

sábado, 9 de fevereiro de 2008

No repeat

Me Huele A Soledad

Me huele a soledad,
saber que ya no estas,
pensar que todo termino ,
que ya no volveras.
Sentir que te perdi y tengo que vivir
perdido en la tristeza q dejaste en tu lugar.

Me duele no tener tu amor
y trato de olvidar
y no hago mas que recordar.
Siento que la vida en tu recuerdo se me va.
Me huele a soledad , amor,
a lagrimas del corazon,
a miedo y a sentir dolor,
sufrir y hacerme daño.

Me huele a soledad, amor,
a dias grises por llegar,
a noches sin poder dormir,
a no saber vivir sin ti jamas.
Te juro que me huele a soledad.

Enfermo de pensar en donde es que andaras,
si te divertiras sin mi , no quiero imaginar.
Me muero por saber si al menos una vez
habras pensado en mi talvez con ganas de volver.
Me duele no tener tu amor
y trato de olvidar
y no hago mas que recordar.
Siento que la vida ne tu recuerdo se me va.

Me huele a soledad , amor,
a lagrimas del corazon
a miedo y a sentir dolor,
sufrir y hacerme daño.
Me huele a soledad, amor,
a dias grises por llegar,
a noches sin poder dormir,
a no saber vivir sin ti jamas.
Te juro que me huele a soledad.

Amor, cuanto te extraño ,
no verte me hace tanto daño.
Por ti yo estoy sufriendo,
sin ti me estoy muriendo de amor.

Composição: indisponível

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Saudade demais, dor demais...

A Um Ausente

Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar. .
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto. Detonaste a vida geral,
a comum aquiescência de viver,
folhas caídas na hora de cair. .

Antecipaste a hora. Teu ponteiro enloqueceu,
enlouquecendo nossas horas. .
Que poderias ter feito de mais grave .
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar ...
por que depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso. .
Voz modulando sílabas conhecidas e banais.
que eram sempre certeza e segurança. . .

Sim, tenho saudades. . .
Sim, acuso-te porque fizeste o não previsto
nas leis da amizade e da natureza,
nem nos deixaste sequer o direito de indagar .
por que o fizeste, porque te foste. . . .

Carlos Drummond de Andrade

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Trilha Sonora

Não existem mais distâncias
Que possam me levar pra mais longe
Quando você dá partida
Sua nave se perde no espaço
Não quero mais migalhas
Você só me abandona
Me deixa esperando na linha
Quando não me quer
Se evapora feito gás
Pra você não passo de um brinquedo
Logo você cansa e depois joga fora

Você é tudo que eu quero
Você é tudo que eu quero

Não consigo mais pensar
Em coisas que até pouco eu sonhava
Se for pra ficar contigo
Não importa se corro perigo
Não entendo por que tanta pressa
Nem por que viver desse jeito
Como é que você quer que eu ande
Se você não me dá chão pra pisar
Pra você não passo de um brinquedo
Logo você cansa e depois joga fora

Você é tudo que eu quero
Você é tudo que eu quero

( Garotos da Rua )