Do título

Do título

"Retórica dos namorados, dá-me uma comparação exata e poética para dizer o que foram aqueles olhos de Capitu. Não me acode imagem capaz de dizer, sem quebra da dignidade do estilo, o que eles foram e me fizeram. Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá idéia daquela feição nova. Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca."
( Dom Casmurro, Machado de Assis, cap. 32 )

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Miragem

Surgiu
?luz no fim do túnel!?
?trem na contra-mão?
Surgiu
oásis no deserto?
?miragem?
Intenso e fugaz
como temporal de verão...
Assim partiu...e para essa saudade que ficou,
não há metáforas,
só solidão....

( Silvana, 02/2005 ) mas poderia ser hoje....

A Grande Surpresa

Mas que susto não irão levar essas velhas carolas se Deus existe mesmo...

Mário Quintana

domingo, 23 de setembro de 2007

Ares de milonga sobre Porto Alegre

Chove sem parar desde ontem. Santo delivery, Batman...
Acabo de interpretar uma cena baseada em " E o vento levou..." . Na falta do rabanete ( ou era um nabo? ) usei uma beterraba mesmo, só pra dar mais realismo, e disse: "Jamais passarei um aniversário sozinha novamente." E a falta daquele telefonema deixa no ar, de forma tácita, o " Francamente, minha cara, eu não ligo a mínima." E eu já estou em Tara.
Deprimente.

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Do que me basta....

Não preciso de um rótulo,
me basta teu beijo pela manhã;
Não preciso do teu ar,
basta ver-me refletida nos teus olhos;
Não preciso controlar teus pensamentos,
me basta pertencer a eles;
Não preciso de palavras,
me basta o desejo que transpiras;
Não preciso de promessas,
me basta tua voz mesmo que longe;
Não preciso de tua liberdade,
me basta que te prendas por vontade;
Não te preciso meu,
me basta ser tua...

( Silvana - 21/09/2007 - 01:31 hs )

Insônia grau máximo, dá nisso.
" Se você ouvisse as vozes que ouço a noite acharia tudo que eu faço natural."
( Vozes, Engenheiros do Hawaii )

Por maior que tu sejas, Rio Grande, caberás sempre dentro de mim...


20 de setembro de 1835. É proclamada a República Rio-Grandense, dando início à uma guerra que duraria dez anos, dizimando vidas e empobrecendo o Estado, em nome dos interesses de grandes estancieiros, como Bento Gonçalves e Bento Manoel. O que na verdade devemos comemorar? A garra, a força, a raça do gaúcho e, principalmente o amor por sua terra, que não se vê em nenhum outro Estado da nação. que é característica nossa. Não existe povo mais arraigado com sua pátria do que nós. Ser gaúcho é ser guerreiro, ser destemido, lutar pelo que se acredita e não abaixar a cabeça. É ter coragem e bravura, mas, como diz o hino rio-grandense, "não basta pra ser livre, ser forte, aguerrido e bravo, povo que não tem virtude acaba por ser escravo". Esse é o maior legado do gaúcho, a virtude e a honra.
Não conseguimos a liberdade pleiteada, porém, a cada 20 de setembro se reforça esse sentimento de orgulho pelo nosso pago, por fazer parte dessa história e se transmite às novas gerações o imenso amor pelo Rio Grande, que faz parte de todos nós.
E que "sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra!"

"Quem quiser saber quem sou
olha para o céu azul
e grita junto comigo
viva o Rio Grande do Sul."
(Querência Amada - Teixeirinha )

terça-feira, 18 de setembro de 2007

Simultaneidade

- Eu amo o mundo! Eu detesto o mundo! Eu creio em Deus! Deus é um absurdo! Eu vou me matar! Eu quero viver! - Você é louco? - Não, sou poeta.

Mario Quintana

domingo, 16 de setembro de 2007

O Pior

" O pior dos problemas da gente é que ninguém tem nada com isso. "

Mário Quintana

sábado, 15 de setembro de 2007

"Grêmio. Uma história que teve início e nunca terá fim"

Aniversário do Grêmio. 104 anos de conquistas. Uma torcida que mesmo depois do time perder continua na arquibancada gritando o seu nome e cantando o hino. O hino composto pelo melhor compositor gaúcho, Lupicínio Rodrigues. Parabéns ao imortal tricolor e a todos nós que compartilhamos de suas glórias.
" Nós como bons torcedores,
sem hesistarmos sequer,
aplaudiremos o Grêmio,
onde o Grêmio estiver."

domingo, 9 de setembro de 2007

Adeus ano novo, Feliz ano velho...

Relendo pela milésima vez ''Feliz Ano Velho'', do Marcelo Rubens Paiva. Preciso ler esse livro de vez em quando, especialmente quando me sinto assim, de certa forma, imobilizada...não, não me faltam as pernas, me falta chão....
Alguns trechos fantásticos:

''De Cristo eu gosto. Pena que o manipularam pra tanta babaquice. Pra começar, dizer que ele é filho de Deus. Que besteira. Será que o homem é tão incapaz de se dar valor a ponto de achar que, quando outro homem é genial, tem que ser de outro mundo? Que nada, Jesus era tão homem quanto eu.''

'' Que merda essa porra de medicina, não serve pra nada. Será que nenhum veado vai me curar? Será que a ciência não inventou uma porra de uma injeção que me cure? Nenhum tipo de operação, nada? Só eu e meu corpo? Não dá, sou muito imaturo pra lutar sozinho. Preciso da ciência, das drogas, dos bisturis. Por favor, não me deixem só. Alguém aí, tem um remédio? Acupuntura? Macumba? Reza? Deus?
Puta que o pariu: o homem foi à lua e ninguém descobriu a cura para uma lesão de medula. Ora bolas, vão todos tomar no cu.''

''De que vale a eternidade? Um orgasmo dura poucos segundos. A vida dura poucos segundos. A história se fará com ou sem a sua presença. A morte é apenas um grande sonho sem despertador para interromper. Não sentirá dor, medo, solidão. Não sentirá nada, o que é ótimo. O sol continuará nascendo. A terra se fertilizará com seu corpo. Suas fotografias amarelarão nos álbuns de família. Um dia alguém perguntará;
- Quem é esse cara da fotografia?
- Ninguém que interesse.''

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Silence is golden

Eu sou uma pessoa do bem. Sou contra qualquer tipo de violência. Mas confesso que tenho instintos assassinos quando ouço certas coisas. É óbvio que eu os ignoro, tudo o que faço é dar um sorriso amarelo e concordar, pois, na maioria das vezes, a pessoa tem razão, mas vamos admitir que o silêncio, em certas ocasiões realmente vale ouro, que como diz nosso amigo Silvio, vale mais do que dinheiro. O pior é que, ás vezes, nós mesmos dizemos isso para os outros. Que atire a primeira pedra, latinha ou container quem não acharia melhor passar o dia ouvindo Calypso ( arghhhh ) do que as frases abaixo:

- "Se ele fez isso é porque não te merece."

- "Foi Deus quem quis assim."

- "Vai ver que não era pra ser."

-" Você ainda vai encontrar alguém que te mereça."

- "Você devia sair mais, conhecer gente nova."

- "Não quero te magoar."

- "Eu gosto muito de você, te acho muito legal, mas essas coisas a gente não escolhe...."

- "Com o tempo você vai esquecer."

- "Você ainda vai rir disso tudo."

- "Você tem que ser superior."

-" Se você não acreditar não dá certo."

-" Olhe para os lados, tem gente com problemas muito piores que o seu ... " ( essa tem um up-grade de nos deixar sentindo umas megeras egoístas e insensíveis e nos faz sentir mal agora também pelos problemas alheios, além do nosso insignificante)

- "Pra gostar de alguém, você tem que se gostar primeiro."

- " Você precisa dar um tempo, viajar, esquecer os problemas."

- " Só estou falando para o seu bem. "

- " Você precisa pensar positivo, vou te mandar uma cópia do The Secret." ( ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh )

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Dieta rules

Como bem disse a Maitena: acho melhor fazer terapia, vai ser mais fácil assumir esses cinco quilos a mais do que perdê-los...

Mantra

Por que não eu? ... Por que não eu? ... Por que não eu? ... ( repete ad eternum)

Busca

Busca

Tua imagem prendeu-se à minha retina
E desde então habita minha alma;
E eu agora, em vão, busco te ver chegar
Como se nunca houvesses partido;
Procuro um horizonte onde te encontrar;
Palavras para te encantar;
Procura vã,
Se meus olhos não te alcançam;
Viajo, então, para dentro de mim,
Onde repousa tua imagem,
De onde não podes sair,
E me deixar....

Silvana (16/10/06 ; 23:33 hs )

domingo, 2 de setembro de 2007

Esfinge

Esfinge

Como resolver teus enigmas?
Onde encontrar tuas respostas?
Já não as procuro...
És esfinge
Que se impõe à minha frente...
Não busco decifrar-te, portanto,
Devora-me...

Silvana ( 17/11/2006 – 19:08 hs )